NuQ

Criado em 2005, o NuQ é um núcleo de pesquisa, extensão e formação acadêmica, registrado na base do Diretório Geral de Grupos de Pesquisas do CNPq, vinculado ao Departamento de Antropologia da Universidade Federal de Minas Gerais, bem como ao Programa de Pós‐Graduação em Antropologia e Arqueologia dessa universidade. O NuQ reúne pesquisadores interessados em populações quilombolas e tradicionais (ciganos, ribeirinhos, povos do santo, grupos urbanos afro‐brasileiros, vazanteiros, dentre outros), dentro de uma perspectiva interdisciplinar. Tem como objetivo principal ser um espaço de formação, extensão e pesquisa sobre questões sociopolíticas relacionadas a povos etnicamente diferenciados, atuando especialmente no campo das políticas para as comunidades quilombolas e tradicionais. Visa a formação de um corpo teórico e prático em relação às territorialidades e ao desenvolvimento sustentável desses grupos, bem como de seus direitos étnicos, sociais e culturais.

O NuQ atua em diferentes contextos situacionais e históricos a partir de grupos estudo, pesquisas, debates, publicações e cursos sobre a sua temática. Sua contribuição é voltada para a produção de conhecimento nas áreas da antropologia política, antropologia dos direitos, antropologia do campesinato, antropologia das populações afro‐brasileiras e minorias étnicas, antropologia do patrimônio cultural das populações afro‐brasileiras, dentre outros.

O NUQ é formado por professores, doutores, pós‐doutorandos, doutorandos, mestres, mestrandos, graduados e estudantes de graduação na área de Antropologia e afins, ligados não somente à UFMG, mas também outras universidades como UnB, Unicamp e USP, o que proporciona o amadurecimento das discussões teóricas no grupo.

Dentre as várias atividades realizadas pelo NuQ destacam‐se a realização de cursos na UFMG e fora dela (como a parceria com a UFVJM) voltados para a formação de pesquisadores na temática fim do grupo. A produção de relatórios antropológicos, artigos, teses, dissertações e pareceres, consolidou o reconhecimento do grupo como parceiro e assessor de órgãos públicos municipais, estaduais e nacionais como o INCRA, o MPF, a Secretária Municipal de Políticas para Igualdade Racial, a Unesco, e a Comissão de Direitos Humanos da Assembleia Legislativa de Minas Gerais.

Desde sua criação o NuQ vem participando ativamente do debate nacional sobre políticas públicas voltadas para a regularização dos territórios quilombolas, tendo alguns de seus membros participado ativamente da Coordenadoria de Assuntos Quilombolas da Associação Brasileira de Antropologia. Uma das repercussões do trabalho encontra‐se na interlocução com o campo jurídico, das políticas públicas e sobre os movimentos sociais.

Advertisements

Recent Posts